sábado, 11 de outubro de 2014

Pezão acusa Crivella e bispo de guerra religiosa


: Rio247 A disputa pelo governo do Rio de Janeiro tem também acusações entre os candidatos sobre quem está provocando guerra religiosa. Em declaração a jornalistas após uma carreata em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, o candidato à reeleição ao governo do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), rebateu a acusação feita pelo senador Marcelo Crivella (PRB) de que estaria promovendo guerra religiosa.
Pezão afirmou que não tem nada contra os membros da Igreja Universal, mas acusou Crivella e o bispo Edir Macedo de fazerem guerra religiosa. "Quem sempre fez foram eles, principalmente contra as outras religiões. Todo mundo se lembra que um sócio do bispo Crivella, em um dia de Nossa Senhora da Aparecida, chutou a santa. Quem tirou todos os pastores, comprou os horários das outras emissoras e tirou da TV o R.R Soares, o apóstolo Waldomiro, o Pastor Silas Malafaia foi a Igreja Universal. Sempre falei que eu vim para discutir propostas para o futuro do Rio de Janeiro. Todo mundo no Brasil sabe quem faz guerra religiosa", afirmou Pezão.
Ele disse, ainda, que vai alertar o eleitor sobre quem está por trás da campanha do seu adversário. "Vamos discutir a aliança do bispo Crivella. Esse segundo turno é para isso, para a população saber que quem votar nele, vai estar votando no Garotinho. Eu não vou passar calado ouvindo os ataques que eles estão me fazendo. Não adianta ficar durante o dia me acusando diante da imprensa e, à noite, no debate, ficar como aquele lobo em pele de cordeiro", atacou Pezão.